NÃO IMPORTA O QUÃO ÁRDUO SEJA O COMEÇO, VOCÊ SEMPRE PODERÁ TER UM FINAL FELIZ.

May 20, 2017

 

Há aproximadamente 10 anos atrás, no começo da minha relação com o computador

(sim, eu só aprendi usar um computador na adolescência), eu conheci o CorelDraw.

 

 

Foi em um curso de informática que era ministrado em uma loja de equipamentos

de segurança, estranho né? Mas é verdade.

 

 

Lembro o dia em que eu fui “sorteado” na minha sala de aula, por ser um bom aluno,

com a bolsa de estudos da tal escola de informática.

 

 

Acontece que na hora da inscrição fui informado que a mensalidade era R$ 25,00 e acredite,

isso era muito pra mim. Filho do meio de uma família pobre, que nunca faltou nada,

mas sempre vivia no limite.

 

 

Minha mãe se comprometeu em pagar as mensalidades, com muita dificuldade,

vendendo seus geladinhos de coco.

 

 

O meu professor de informática tinha um amigo, dono de uma gráfica que estava precisando

de alguém para assumir o lugar de um designer que estava cumprindo aviso prévio

e como eu estava me destacando entre os alunos no quesito desenho, ele me indicou.

 

 

Eu fiquei super empolgado, afinal de contas seria o meu primeiro trabalho em que eu

não precisaria fazer massa e carregar latas de cimento nas costas.

 

 

Mas essa empolgação só durou dois dias, quando eu fui demitido por não saber nem

o que era ferramenta “gradiente”.

 

 

O cara me disse as seguintes palavras: “Marcelo, talvez um dia você seja o melhor designer

da cidade, mas hoje não dá.” E lá estava eu, com uma mão na frente e outra atrás.

 

 

Mas tudo bem, vida que segue.

Voltei a trabalhar com meu pai como ajudante de pedreiro, mas continuava praticando

CorelDraw em casa no meu arcaico PC que eu rezava para que não desligasse subitamente,

pois para ligar novamente eu teria que esperar uns 30 minutos até o esquentadinho esfriar

e assim eu começar a rezar de novo.

 

 

Se passaram 3 anos, quando eu finalmente pude trabalhar como um designer.
E se você quiser entender como foi isso, eu conto essa história no post

04 passos que dei para ser um designer bem sucedido – minha história

.

 

O que importa é que não me acomodei, mas a cada dia busquei saciar minha sede de aprender

novas técnicas que exigiam novas ferramentas. Foi ai que fui para o Photoshop, Cinema 4D,

3ds Max, V-Ray, After Effects, Premiere e etc.

 

 

Eu aprendi uma lição:

 

 

“Não importa o quão árduo seja o seu começo,

você sempre poderá ter um final feliz!”

 

 

Muitos designers declaram seu ódio contra o CorelDraw, mas sei também que muitos deles

começaram por esse pacato software.

 

 

Eu acredito que cada processo que passei, agradável ou não, foi extremamente necessário

para o meu crescimento profissional.

 

 

Hoje o que eu posso dizer é OBRIGADO. Sim, obrigado mãe, obrigado professor de informática

da loja de equipamentos de segurança, obrigado dono da gráfica, obrigado pai pelo trabalho pesado

que me fez dar valor às conquistas e obrigado CorelDraw por ter sido “meu leite materno da criação”.

 

 

Não tenha vergonha de admitir, se você também começou no CorelDraw, agradeça!

Compartilhe
Compartilhe
Curtir
Please reload

Quer se tornar um monstro do 3D

levando seus jobs para o próximo nível?

Conheça o Treinamento 3D Para Designers PRO

QUEM SOMOS

Um site feito por Marcelo Pólvora, um designer gráfico freelancer qua atua na criação publicitária desde 2010, com a missão de compartilhar as experiências em 3D adquiridas ao longo da carreira.

  • Instagram
  • Youtube
  • Facebook

© 2020 POR MARCELO PÓLVORA.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.